Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – PA [email protected]

15. A SANTIFICAÇÃO

15 A SANTIFICAÇÃO

Cremos que toda pessoa que verdadeiramente se converte e nasce de novo, passa a ser propriedade do Senhor Jesus e do Reino dos Céus, não pertencendo mais a esse mundo. Jesus, antes de ser preso, orou ao Pai, dizendo: “Dei-lhes a Tua Palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como Eu do mundo não sou. Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a Verdade” (Jo 17:14-17).

Como resultado direto dessa Oração, toda pessoa de Cristo é possuída por um forte desejo de santificação por amor ao Senhor, guardando a Sua Palavra, separando-se e fugindo de todo pecado, porque este, quando ocorre, não lhe traz mais prazer e, sim, tristeza e pesar (II Co 7:10, Hb 12:10-11). Antes de nascermos de novo, amávamos o mundo e as coisas que nele há. Mas a salvação de Cristo operou em nós o verdadeiro Amor e agora nos faz amar a Deus e as coisas que são do Alto (I Jo 2:15-17).

De maneira sobrenatural, o cristão, santificado pelo Sangue de Jesus, é separado do mundo como povo santo de Deus, e recebe, por isso, o nome de “santo” (Jo 17:14-17, At 9:32,41, 26:10, Rm 1:7, I Co 1:2).

“Segundo é Santo Aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porque escrito está: Sede santos, porque Eu sou santo” (I Pe 1:15-16, Mq 6:8, Jo 15:4-10, Rm 6:11-14, 8:12-13, II Co 7:1, Gl 5:24, Ef 4:24, Cl 3:10).

Cremos que esta Santificação só é possível graças ao cumprimento da promessa do Senhor Jesus, que disse: “Se alguém Me ama, guardará a Minha Palavra, e o Meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” (Jo 14:23).

A presença do Senhor em nosso interior faz com que resistamos diariamente às investidas do Tentador, impedindo-nos de nos conformar com o pecado, e nesse processo do Espírito, nossas vidas vão se tornando cada vez mais santificadas e perfeitas (Jo 14:26, Rm 12:1-2, I Pe 1:2).

Cremos que a Santificação não é mérito de ninguém, mas resultado de uma vida cheia do Espírito Santo, que cria uma natureza santa dentro de nós, conforme prometeu o Senhor: “E porei dentro de vós o Meu Espírito, e farei que andeis nos Meus estatutos, e guardeis os Meus juízos e os observeis” (Ez 36:25-27).

Cremos que quanto mais frutos uma pessoa produzir no Reino e na Obra de Deus, mais limpa ela será por Deus (Jo 15:1-3). Não obstante a santificação ser obra do Espírito Santo, o cristão deve lembrar-se das advertências de Cristo:

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41).

Pedro, que aprendeu na prática essa lição, escreveu em sua carta: “Sede sóbrios, vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (I Pe 5:8). E Tiago, um dos pais da primeira Comunidade Cristã em Jerusalém, escreveu: “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tg 4:7).

Cremos ninguém está livre das tentativas do mal e que, se o cristão pecar, não deve ficar omisso ou conformado, mas orar com sincero arrependimento ao Seu Senhor e Advogado para que perdoe as suas faltas. Somente se julgar necessário é que deverá procurar o seu Pastor e relatar o fato, solicitando orientação e oração. Somos contra a repreensão pública do cristão faltoso, por considerá-la escandalosa e degradante, além de totalmente insensata: humilhando-se publicamente o que falhou, só se consegue afastá-lo da Comunidade e, dificilmente, reconquistá-lo para Cristo. Devemos proceder conforme Jesus ensinou em Mateus 18:15-17. “E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente; antes, seja sarado. Segui a Paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12:13-14).

bannerMemorial

AGUARDE NOVAS ATUALIZAÇÕES!