Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Wadson Medeiros

Pr. Wadson Medeiros

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. David Scarinci

Pr. David Scarinci

Sede Estadual – PA   [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Casos de rinite alérgica aumentarão na primavera. Como evitá-los.

O pólen das flores, presente em abundância na primavera, pode causar a chamada rinite sazonal. Se não tratada, evolui para problemas mais graves como asma.

A chegada da primavera nesta quinta-feira pode significar o início de um grande desconforto para os alérgicos: a rinite sazonal. Isso porque a presença das flores causa uma espécie de “explosão de pólen” que desencadeia os sintomas incômodos da irritação: coriza, dificuldade para respirar, espirros frequentes e muita coceira no nariz e olhos. As informações são do portalIg.

“Para evitar que estes sintomas se agravem, devemos manter os ambientes limpos, arejados, fazer boa higienização nasal com soluções salinas e procurar um especialista caso os sintomas se agravem.”, recomenda Ulisses José Ribeiro, otorrinolaringologista do Hospital São Luiz, em entrevista aoIg.

A rinite alérgica é a forma mais comum de rinite, uma reação imunológica causada pelo contato de agentes alérgenos com o revestimento do nariz  que afeta 40 milhões de brasileiros de acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Asbai). O problema é causado por uma reação do sistema imunológico a pó, bolor, pólen, ervas, árvores e animais, principalmente.

No caso dos alérgicos ao pólen a recomendação, segundo o coordenador técnico do projeto social Brasil Sem Alergia, Marcello Bossois em entrevista aoIg, é “fechar as janelas e usar mais o ar condicionado, porque ele acaba filtrando o pólen”, principalmente para quem mora em regiões próximas a florestas, nas regiões sudeste e sul.  “Sem de esquecer de lavar com frequência os filtros do ar para não ter outros problemas.”, ressalta.

Outra recomendação  é não secar a roupa ao ar livre, para evitar seu contato com o pólen. Na hora de lavar as narinas com soro, o melhor é deixar o líquido morno – nunca quente – para que não haja choque com a temperatura do organismo. Para aqueles com rinite causada por ácaro e que, portanto, têm sintomas da doença praticamente o ano todo, Bossois recomenda abrir as janelas para arejar o ambiente.

O grande problema é que a rinite causa o aumento das secreções nasais e, se não tratada corretamente, elas podem ser infectadas por bactérias ou fungos e a alergia pode evoluir para doenças mais graves como asma, faringite, laringite ou até rinoconjuntivite alérgica. O nariz tem terminações nervosas que ligam o órgão aos olhos, então uma conjuntivite, por exemplo, pode estar relacionada a uma inflamação no nariz, explica o coordenador.

“Pessoas com hipersensibilidade ao pólen e que sofrem muito com os sintomas na primavera podem realizar uma imunoterapia. A vacina serve para que, quando entrar essa época do ano, não haja o problema”, completaBossois.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Domingo, dia 16/05, às 10h   Reunião da Família       SEDE NACIONALAv. Cruzeiro do Sul, 1965 - Santana - São Paulo - SP