Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

SUS incorpora medicamento para Alzheimer

O Ministério da Saúde incorporou ao SUS nesta quinta-feira o medicamento memantina para casos moderados e graves de Alzheimer.

Nesta quinta-feira o Ministério da Saúde incorporou ao Sistema Único de Saúde (SUS) o medicamento memantina para pacientes com Alzheimer moderado e grave. A substância age impedindo a ação do excesso do glutamato nos neurônios. Em níveis elevados, o glutamato facilita a entrada de cálcio nas células neuronais, levando-os à morte.

Em pacientes graves, o tratamento deve ser combinado com um medicamento inibidor de colinesterase, substância que inibe a ação de enzimas que destroem a acetilcolina, neurotransmissor atuante na memória. Já nos casos leves, a memantina pode ser usada isoladamente.

recomendação da incorporação da terapia foi feita em julho por uma comissão de avaliação que concluiu: “apesar do tamanho do efeito ser pequeno, ele é significativo e influencia favoravelmente a qualidade de vida dos doentes e cuidadores”. De acordo com a portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), em até 180 dias o medicamento deverá estar disponível no SUS.

Alzheimer

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa causada pelo acúmulo das proteínas beta-amiloide e tau no cérebro. Seus efeitos são neurodegeneração gradual e demência caracterizas por perda cognitiva progressiva, sintomas neuropsiquiátricos (comportamentais) e prejuízo das atividades da vida diária (funcionais) dos doentes.

Acomete 1% da população entre 65 e 69 anos, 33% dos indivíduos com mais de 85 anos e compromete mais de 35 milhões no mundo. Não existe cura para a doença, mas os tratamentos atuais são capazes de diminuir os sintomas.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Dom. dia 21/10, às 8h     Reunião do Santo Jejum   SEDE ZONA LESTE         Av. Celso Garcia, 6076 - Penha - São Paulo - SP